Pesquisar este blog

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

MATÉRIAS EM REVISTAS E JORNAIS SOBRE O NEOCLÁSICO

Vários meios de comunicação dedicaram espaço para o CD Neoclássico, destacando a guinada musical de Patricia, e fazendo entrevistas com a cantora falando sobre esse novo momento. Aqui vamos destacar três deles, o primeiro, no suplemento Folhateen, da  Folha de São Paulo, que por ser destinado ao público adolescente, focou pouco no CD e mais em coisas da idade dela (tinha 17 anos na época). A segunda, na Revista da Folha, já foi publicada aqui e faz merecidos elogios a cantora. E a terceira, é da Revista Contigo, que faz um pequeno retrospecto da carreira dela, e fala sobre o CD e o show "O Tic Tac do Meu Coração". No final, ela já dava a pista do futuro musical, dizendo: "Agora, quero cantar músicas mais dançantes".







terça-feira, 5 de dezembro de 2017

ROSA NO MILK SHAKE #NEOCLÁSSICO25ANOS

"Rosa" (Pixinguinha/Otávio de Sousa), uma das mais lindas faixas do CD Neoclássico, originalmente é uma valsa, e foi composta em 1917 (cem anos!), mas o que muitos não sabem é mestre Pixinguinha é responsável apenas (como se fosse pouco!) pela melodia da canção. O autor da letra é Otávio de Sousa, um mecânico de Engenho de Dentro (RJ), que sequer era envolvido com música. Dizem que ele se aproximou de Pixinguinha em um bar para falar da letra que não saía de sua cabeça quando ouvia a valsa.  A letra era de incrível beleza, super rebuscada, e por incrivel que pareça, o letrista nunca mais fez nada nem sequer parecida com ela novamente.

A primeira gravação da música, já com a letra, foi feita pelo popular cantor Orlando Silva,  mas desde então, já teve inúmeras gravações, desde os mais clássicos Francisco Alves e Carlos Galhardo até os mais comtemporâneos Marisa Monte e Luiz Melodia. Patricia Marx gravou sua linda versão no aniversariante CD Neoclássico em 1992, e fez bonito. Não há quem não se derreta ao ouvi-la cantando com voz segura e afinadíssima a canção.

No vídeo de hoje vamos ver Patricia apresentando a a música no Programa Milk Shake em 92:



Fonte da pesquisa sobre a música Rosa: http://qualdelas.com.br/rosa/

RELEASE DO CD NEOCLÁSSICO POR CARLOS RENNÓ

O compositor e jornalista Carlos Rennó estava desde o início dos anos 90 fazendo um trabalho de pesquisa para aprimorar o repertório de Patricia Marx (inclusive chegou a compor algumas músicas pra ela, que acabaram não entrando em seus ábuns - a exceção foi sua parceria com Scowa, na música "Sem Preconceito"), foi quem escreveu esse release para o CD Neoclássico. Nele, ele já fala de suas mudanças e do seu amadurecimento musical a partir desse trabalho, conta detalhes de algumas faixas, fala sobre o processo de gravação das músicas e exalta o talento de Patricia.




domingo, 3 de dezembro de 2017

SEMANA ESPECIAL NEOCLÁSSICO 25 ANOS

Um dos mais belos trabalhos da carreira de Patricia Marx, o álbum "Neoclássico" está completando 25 anos esse mês, e o Fã-Clube vai fazer uma semana de postagens especiais sobre o álbum. Tudo começou quando um produtor musical japonês e estudioso da música brasileira chamado Mamoru Oshima, veio ao Brasil em busca de uma cantora jovem e de voz limpa, para ser lançada no mercado japonês. Após um intenso trabalho de pesquisa, chegou em suas mãos um disco em tributo ao compositor Adoniran Barbosa, onde Patricia, entre outros artistas,  cantava a faixa "Samba Italiano", se encantou com sua voz e logo quis saber mais sobre ela e procurou seus outros trabalhos, gostou do que ouviu e entrou em contato com ela. Juntos, escolheram o repertório, de clássicos de MPB e Bossa Nova, incluindo clássicos de Noel Rosa, Tom Jobim, Pixinguinha e Rita Lee, cujo trabalho ele não conhecia e lhe foi apresentado por ela.  Além disso, eles compuseram juntos a música "Dorme Carolina", um acalanto para a irmã da cantora, na época com 2 aninhos. A príncipio, o trabalho seria lançado apenas no Japão, mas acabou sendo lançado também no Brasil, mesmo que com tiragem limitada, pelo selo independente Cameratti, para a alegria dos fãs. Apesar do foco sempre ter sido o lançamento no Japão, Patricia chegou a fazer  divulgação do trabalho aqui, em alguns programas de TV e shows de lançamento no Rio e São Paulo, além de ter recebido elogios da crítica especializada.






quarta-feira, 29 de novembro de 2017

PATRICIA MARX FOI DESTAQUE EM REVISTA TEEN (1994)

Patricia Marx foi desraque nessa revista adolescente (Se não me engano, era Revista Teen o nome) em 1994, na ocasião do lançamento do álbum Ficar com Você. Acho essa foto divulgação uma das mais bonitas dessa época, com seu visual clubber (Stylist by Betty Lago), pronta para arrasar nas pistas!


segunda-feira, 20 de novembro de 2017

MAIS FOTOS DO SHOW EM FORTALEZA

Mais algumas fotos do show de sábado, no Shopping RioMar, em Fortaleza! Essa Corrida Retrô foi mesmo um grande sucesso!!!








domingo, 19 de novembro de 2017

FOTOS DO SHOW DE ONTEM EM FORTALEZA: UM SUCESSO!


O Show retrô de ontem no Shopping RioMar foi um sucesso e fez a alegria de muita gente ao reunir dois ícones da infância dos anos 80: O Trem da Alegria (representados por Patricia Marx e Luciano Nassyn) e As Paquitas (representadas por Cátia Paganote e Priscila Couto, da geração clássica de ajudantes de Xuxa). A Corrida retrô começou de manhã, com vários competidores que se inscreveram para participar, mas muita gente também nem foi para correr, mas se inscreveram apenas para ver o show histórico. Você pode conferir o sucesso do show pela primeira foto, com os artistas no palco e um público imenso ao fundo (foto do instagram de @catiapaganote). Em seguida, fotos no camarim das Paquitas ao lado de Joãozim Pé de Feijão, Luciano Nassyn e Patricia Marx, e também de Patricia com nosso querido amigo e super fã Márcio Fernandes (de camiseta preta), que esteve presente e clicou as fotos do show que você vê algumas aqui. E por fim, mais uma do instagram de Cátia, ainda antes do show.















quinta-feira, 16 de novembro de 2017

DIA 18/11 TEM SHOW RETRÔ EM FORTALEZA!

Nesse sábado, 18 de novembro, tem show de Patricia Marx e Luciano Nassyn dentro do evento "Corrida Retrô", no Shopping RioMar, em Fortaleza. O evento começa de manhã e dura o dia inteiro, reunindo  esporte, música e diversão. Mais informações pelo telefone (85) 2181-4092 ou pelo site
https://www.corridaretro.com.br/


PATRICIA MARX EM ESTÚDIO GRAVANDO PARA NOVO ÁLBUM

Vem novidade boa por aí: Patricia Marx postou essa foto no Vitrola Sound  Estúdio, e para nossa felicidade, com as legendas "gravando novo álbum" e "produzido por mim & Herbert Medeiros". Em pequenos vídeos dava pra ver ela gravando os vocais de uma música em inglês e em outro um pequeno trecho deles trabalhando a música no estúdio já com os arranjos com outra legenda dizendo que a lettra da música era do Mac Marc, do 4Hero (que trabalharam com ela no álbum "Respirar" (2002).
 Recentemente, gravando uma entrevista para o programa SoulColate, apresentado pelo grupoSerial Funkers no Youtube, ela já tinha adiantado que pretendia gravar em breve músicas inéditas com o Herbert para um futuro lançamento.




domingo, 5 de novembro de 2017

PATRICIA MARX E MARCELO AUGUSTO CANTANDO NO DOMINGO LEGAL

Em 1996, o cantor Marcelo Augusto estava preparando seu novo álbum, intitulado "É Assim Que Vou Te Amar", quando resolveu chamar Patricia Marx para cantar com ele uma das faixas, a dançante "Formas de Amor'. Mesmo não sendo a música de trabalho do álbum, eles chegaram a se apresentar juntos em pelo menos dois programas: O primeiro, já bem conhecido no Youtube é aquele Sabadão Sertanejo, onde eles cantam com uma coreografia provocante e brincam (incentivados pelo Gugu) sobre um possível romance entre os dois (que nunca houve, mas muita gente acreditou na época). Marcelo ainda declara no programa: "A Patricia me deu esse presentaço que foi participar desse CD e foi lá no estúdio e arrebentou... Foi uma música que eu queria ter gravado, mas só gravaria se tivesse a participação dela". E agora postei no youtube o outro programa que eles se apresentaram, o Domingo Legal. Nesse, Patricia já está com um visual totalmente diferente do programa anterior, mas a coreografia sensual continua firme e forte! Aliás, gosto muito dessa música, além de ter um balanço bem gostoso, a voz da Patricia está linda, dando aquele toque de sensualidade irresistível.






Pra quem ainda não viu o Sabadão Sertanejo, que eles fizeram primeiro, e foi citado na matéria, está aqui o vídeo:


quinta-feira, 2 de novembro de 2017

RELEMBRE PATRICIA MARX NO PROGRAMA TV ZONA

Vindo da MTV,  apresentador Luiz Thunderbird (lembra dele?) estreou na Globo em maio de 1994,  com o programa TV Zona, nas tardes de sábado, em mais uma tentativa de reeditar o sucesso de Chacrinha no horário. Patricia Marx foi uma das convdadas do programa de estréia cantando seu sucesso "Quando Chove" ao vivo, acompanhada da sua banda. Aliás, foi sorte ela ter ido logo no início, porque o programa acabou não dando certo e saiu logo do ar (apenas 4 programas foram ao ar).
Quem nunca viu a participação de Patricia no programa, ou quer rever, é só dar o play:







sábado, 28 de outubro de 2017

PATRICIA MARX NA PRIMEIRA EDIÇÃO DO TELETON

No dia em que o Teleton leva ao ar sua 20ª edição, que tal relembrar Patricia Marx cantando "Me Liga" na primeira edição do programa em 1998?




sexta-feira, 13 de outubro de 2017

FOTOS E MOMENTOS DE 1987/1988 #PATRICIAPATY30ANOS

Espaço dedicado para algumas fotos e pequenas matérias publicadas na época do LP Paty em 87/88:

                                    Matéria da Revista "Mulher de Hoje" sobre o disco. O
                                    texto foi um tanto quanto infeliz ao falar de sensualidade
                                    em uma menina de 13 anos!!!

                                   
                                       Matéria na Revista Amiga (Novembro/87)
                                       comemorando as 30.000 cópias vendidas do disco
                                       em apenas um mês. Mal se sabia que pouco mais de
                                       um mês depois o disco chegaria às 250.000 cópias!!!

                                       Patricia cantando no show de lançamento do Xegundo
                                       Xou da Xuxa no Palace em São Paulo em 1987.

                                   Foto para a Revista Contigo em 1988.

                                       Foto para a Revista Carícia em 1988.

MENSAGEM DE XUXA NO ENCARTE DO LP #PATRICIAPATY30ANOS

O disco de estréia solo de Patricia Marx trazia no encarte (no verso das letras das músicas), essa mensagem de Xuxa apresentando a menina para o púbico, agora como cantora solo. Quem ainda tem o disco e o encarte? #PatriciaPaty30anos


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

VÍDEO INÉDITO DE FESTA DO AMOR #PATRICIAPATY30ANOS

Seguindo as comemorações do #PatriciaPaty30anos, tem vídeo inédito de "Festa do Amor" no Globo de Ouro no Youtube! Gosto muito dessa apresentação, além da música estar mais rockn'roll, a Patricia está cantando de forma vibrante a música, resultando em uma bela performance, ainda mais pra uma menina de 13 anos! Dá o play:




sexta-feira, 6 de outubro de 2017

MATÉRIA NO ESTADÃO COM PATRICIA EM JANEIRO/88 (#PATRICIAPATY30ANOS)

Em 10 de janeiro de 1988, o jornalista e crítico musical Luiz Antônio Giron fez uma matéria no Caderno 2 do Estadão analisando o estouro da recém-começada carreira solo de Patricia Marx, que com apenas 3 meses de lançamento do seu disco solo, já havia conquistando tanto o público quanto a crítica. Na matéria, ele compara Patricia com Elis Regina, não só pelo fato de terem começado a  cantar ainda meninas, mas pelo talento, bom gosto e segurança musical. E decreta: "Uma artista como ela só aparece de dez em dez anos". Abaixo, o texto da matéria na íntegra para vocês:

"SE EU TIVESSE ISSOZINHO DA SUA VOZ, NINGUÉM ME SEGURAVA.", disse Xuxa, apertando polegar e indicador ao ouvir Patricia, então com nove anos. A menina acabava de interpretar "Canta Brasil" (clássico de Alcyr Pires Vermelho e David Nasser) sem acompanhamento, com voz segura e afinada. Era o tempo em que Patricia fazia dupla com Luciano, e protagonizavam o programa Clube da Criança, da rede Manchete, comandado por Xuxa. Ninguém segurou Xuxa, apesar da voz. Ninguém segura mais Patricia, por causa da voz. Com 13 anos de idade, oito de carreira, 11 LPs na bagagem, 1 metro e 60 cm de altura, 47 quilos, a menina canta como nenhuma outra criança. Seu primeiro disco solo, Patricia (Paty), lançado em outubro passado, está chegando à marca de 250 mil cópias vendidas. O rock "Festa do Amor", tema da novela Bambolê, explodiu nas paradas de todo o Brasil. Patricia coleciona prêmios: Ganhou um concurso para jovens cantores em Portugal há dois anos.Sua coleção de discos de ouro e platina ocupa uma parede inteira do sobrado onde mora com os pais, no bairro Sumaré, em São Paulo.

A voz é cada vez mais elaborada, a interpretação consegue transformar as vulgaridades da dupla Michael Sullivan e Paulo Massadas em produtos de qualidade. Patricia veio para arrebatar o público infanto-juvenil. "Faço música adolescente", diz ela, orgulhosa por ter mudado de fase. "Apesar de gostar de todos eles, não aguentava mais ouvir Jairzinho & Simony, Os Abelhudos e Xuxa." Nem a meninada que cresceu desde que o boom da música infantil aconteceu em 1984. Patricia evoluiu com o público. Domina o palco com talento."Adoro grandes espaços, com a eletricidade do público eu me transformo." Ela parece virar outra. Dança e canta como ninfeta, fala das hesitações dos adolescentes.

Com a explosão de "Festa do Amor", há um mês, ela começou a maratona de shows. Percorreu Nordeste e Sul, lugares que ela conhece dos tempos do Trem da Alegria, um grupo formado pela RCA em 1985, para concorrer com o Balão Mágico. "Quando ela desce do palco, as pessoas se espantam: então era essa meninininha?", comenta Carlos Marques de Azevedo, de 34 anos, pai e empresário, que abandonou um bom emprego como projetista de arquitetura para organizar a agenda da filha.

Patricia Marques de Azevedo, canceriana e paulistana, é teimosa. Briga com os pais pelos seus direitos. Discute com os técnicos de som, maestros e produtores. "Detesto cantar com playback.", reclama, consciente que a MPB está virada num karaokê arranjado pelos Lincoln Olivetti da vida. Nos shows e nos discos, ela cantou até hoje com playback. "É tantos erros e rolo que eu me atrapalho.". Ela tira ouro de tanto rolo. UMA ARTISTA COMO ELA SÓ APARECE DE DEZ EM DEZ ANOS. Antes dela, surgiram Elis Regina e Bebel Gilberto. E desse tipo de artista, o  mundo exige garra. Patricia não se atemoriza. Sábado e domingo próximos, dias 16 e 17,às 15 hs, ela se apresenta no Projeto SP, inaugurando a promoção Porta para os Baixinhos, dedicado ao público infanto juvenil. Dias 22 e 24 de janeiro, Patricia vai a Oasasco,para cantar no Rhapsody Club. E dia 31, o desafio será pesado: Fazer sozinha um show no Projeto Leste. Em fevereiro, dias 6 e 7, ela se exibe em Marília e Presidente Prudente. Começando as aulas, exige revezar shows e descansos no fim de semana. "Quero ter tempo para estudar dança, piano e composição."

Piano, ela estuda há cinco anos.Já tocou sonatinas de Bethoven e chegou a compor peças do gênero. Dança desde os 3 anos de idade com a mãe, Cristina, professora de balé. Começou a se mostrar na TV com seis anos de idade no programa Pullman Jr, da TV Gazeta. Ela não cantava. Dublava Carmem Miranda, Kate Bush e Lucinha Lins em 45 rotações. Com 6 anos, cantou no programa Sílvio Santos. 'É um talento", julgou Aracy de Almeida. Com 7 anos, resolveu enfrentar o Chacrinha, então  na Bandeirantes. Ganhou o prêmio de melhor calouro do mês, cantando "Deixa Chover", de Guilherme Arantes. "Patricia tinha medo da buzina", conta Daniel, ciumento irmão único de nove anos.

Xuxa ajudou na profissionalização. "É de Chocolate", sucesso de 1984 cantado com Luciano, confirmou o talento. Patricia passou a vender disco. A RCA formou o Trem da Alegria, que chegou a marca de 1 milhão de discos em 1986.  Já com 12 anos, ela era chamada de babá pelos outros integrantes do grupo. "Não me sentia mais criança e pedi pra sair do grupo." Parecia o fim da carreira. O boom infantil exigia sempre novinhos - e Patricia era adolescente. O contrário se deu inesperadamente. Os fãs lotam os bastidores nos fins dos shows. "Ficam alvoroçados" (ela fala assim mesmo, "alvoroçados".) "Quando eu me aproximo, eles não acreditam. Pensam que sou figura de TV."Ela quer continuar na música, passar dois anos nos Estados Unidos estudando dança, compor e cantar. O que mais gosta de fazer é analisar música. "Passo tardes inteiras ouvindo cds de Miles Davis, David Bowie e Tom Jobim. O modelo de cantor é Madonna. "Gosto da presença de palco dela."Musicalmente, prefere o "instrumetal diferente" de Miles e as músicas românticas de Tom Jobim. Aliás, a melhor faixa do seu LP, "Vivo Sonhando", foi composta por Tom. Patricia sonha se encontrar com para uma jam session ou disco. "Se isso acontecer, acho que desmaio."

Ela entende de música. "Não gosto do som barulhento dos Titãs. Acho punk uma coisa babaca." Ás vezes, tem ímpeto de brincar de bonecas. "Mas logo me dá vontade de dirigir e sair por aí." Namorar não faz parte dos seus planos momentâneos. "Nem haveria tempo, vivo voando entre Rio e São Paulo."  Musa dos adolescentes recém-nascidos, dona de uma voz cristalina, Patricia tem tudo para se tornar uma cantora de primeira linha. Para isso, no entanto, ela terá de impor o seu próprio gosto - refinadíssimo -, ao passo que a MPB terá que mudar de mentalidade. Patricia supera e transfigura o karaokê dos estúdios. SURGE UMA ESTRELA.


JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO
Caderno 2
Matéria por: Luiz Antônio Giron
10 de janeiro de 1988.

#PatriciaPaty30anos




30 ANOS DE UM GRANDE SUCESSO #PATRICIAPATY30ANOS


Há 30 anos, chegava às lojas o primeiro disco solo de Patricia Marx (Na época, ainda só "Patricia"). A menina, então com 13 anos, já tinha uma carreira vitoriosa, com a dupla com Luciano e com o Trem da Alegria, mas já não se sentia a vontade cantando os sucessos infantis e pediu para sair do grupo. Com o apoio de Michael Sullivan (que precisou remar contra a maré, pois a gravadora só queria  lança-la como cantora solo aos 16 anos) e a apresentadora Xuxa, que sempre acreditou no seu talento, ela logo começou a gravar o projeto. Com dificuldades para conseguir músicas, pois os compositores ainda a viam como menina e só enviavam músicas infantis, Michael Sullivan e o parceiro Paulo Massadas resolveram compor a maioria das músicas do álbum, com exceção de uma regravação do ídolo de Patricia, o compositor Tom Jobim, que ela fez questão de gravar, já mostrando o refinado gosto musical.
Com uma das músicas do disco, "Festa do Amor", estrategicamente incluída na nova novela das 18 hs da Globo, que era ambientada nos anos 60, logo todo mundo se perguntava de quem era aquela voz afinada que cantava o tema contagiante da personagem de Carla Marins, uma adolescente que aprontava mil e uma maldades na trama. Quando o disco chegou às lojas, a música já era um sucesso, subindo cada vez mais degraus nas paradas musicais do Brasil. E o que se viu, foi um belo trabalho, produzido pela dupla Sullivan e Massadas, com direção artística de Miguel Plopschi, e com participação de feras da música, como o arranjador Lincoln Olivetti, o grupo Roupa Nova (que fez os arranjos da faixa "Te Cuida Meu Bem"), o saxofonista Leo Gandelman (que toca em "Vivo Sonhando") e  o guitarrista Marcelo Sussekind (presente em "Raio de Luar", "To Be Or Not To Be", "Coração na Mão"e "Quem me Dera"). E no centro de tudo,  uma cantora, que apesar de tão jovem já mostrava imenso talento, segurança e uma voz afinadissíma, como raras em sua idade.
E o resultado de tudo foi um imenso sucesso. Com apenas três meses de lançamento, o disco já tinha vendido 250.000 cópias, tendo conquistado discos de ouro e platina e com a cantora frequentando todos os programas de TV da época e Patricia conquistando elogios da crítica especializada. E provando que não era cantora de um hit só, ainda emplacou outro grande sucesso no mesmo álbum, "Te Cuida Meu Bem", que ajudou ainda mais que o álbum chegasse no final, às 350.000 cópias vendidas. Um grande sucesso, e um dos discos mais vendidos da temporada 87/88.

#PatriciaPaty30anos


terça-feira, 3 de outubro de 2017

R.I.P SÉRGIO SÁ

Partiu nessa madrugada o cantor e compositor Sérgio Sá, vítima de infarto aos 64 anos. Ele compôs músicas para ínúmeros artistas, como Roberto Carlos, Fábio Jr, Simone, Vanusa, Fafá de Belém, Mara, Angélica, entre tantos outros. Na primeira fase da carreira de Patricia Marx, ele esteve presente como compositor nos álbuns PATRICIA (1988), com as músicas "Pra que se Complicar" (versão dele para "Let's Wait a While", de Janet Jackson), "Não Quero Perder"(em parceria com Ulisses Tavares)  e "Labirinto de Sonhos", " e no álbum "Incertezas", sua linda música "Olhos Azuis" fecha o disco. Mais recentemente (2011), Patricia voltou a cantar uma música do compositor (e seu amigo) quando pediu pra ele uma composição falando sobre abandono e violência contra os animais ele compôs (em parceria com Cris Reis, sua esposa) a linda música "Gato e Sapato".

Patricia expresssou sua tristeza com a partida do amigo em seu Instagram, onde postou: "Hoje sobe ao céu uma das estrelas mais lindas que conheci. Meu querido amigo Sérgio Sá. Um dos maiores compositores pop dos anos 80 e 90 se foi pela manhã, deixando um legado de músicas e um trabalho inesquecível. Gato e Sapato foi uma música por encomenda, que pedi para ele e sua esposa Cris Reis fazerem, para que eu pudesse expor minha dor e solidariedade a todos os animais que sofrem por violência, abandono e maus tratos. Eles também eram sérios defensores da causa animal. Meus profundos sentimentos a toda família (...) 

Vamos relembrar dois momentos em vídeo de Patricia e Sérgio Sá: No primeiro vídeo, eles se apresentam juntos (ela cantando e ele ao  piano) com a música "As Rosas não Falam", de Cartola e no segundo, ela canta "Gato e Sapato', última colaboração dele com a Patricia: