quinta-feira, 11 de julho de 2024

SHOW DO TREM DA ALEGRIA NO RIO DE JANEIRO

No dia 07 de setembro, a Festa Ploc apresenta Luciano Nassyn e Patricia Marx, cantando seus maiores sucessos e do Trem da Alegria, incluindo "É de Chocolate", "Piuí Abacaxi", "Uni DuniTê", "Espelhos D'Água", "Quando Chove", "Festa do Amor", "Ficar Com Você", "He- Man", "Thundercats", outros, no Clube dos Aliados, em Campo Grande, no Rio de Janeiro. 

Abertura dos portões às 20h

Nos intervalos os melhores djs das noites cariocas tocando o melhor dos anos 80'90'e 2000.

Vendas de ingressos nns lojas South, na secretaria do Clube dos Aliados e no site https://www.guicheweb.com.br/trem-da-alegria_31391

SERVIÇO:

CLUBE DOS ALIADOS 

07/09, a partir de 20h

Endereço: Estrada do Mendanha, 1025 - Campo Grande - RJ 

Telefone informações: 21964368945 (Dj Leandro Ramos) 

terça-feira, 9 de julho de 2024

PATRICIA MARX POSTA FOTO COM O FILHO E O AVÔ

Patricia Marx compartilhou fotos esse último final de semana com o filho Arthur e o avô José, e chamou atenção para o fato deles estarem em um momento em que cada um deles tem a exata metade da idade do mais velho: Arthur está com 25 anos, Patricia com 50 e o avô com inacreditáveis 100 anos, e com cara de garotão ainda. Família linda, né?




domingo, 30 de junho de 2024

PATRICIA MARX ANUNCIA CASAMENTO COM A NAMORADA

Em matéria publicada no GShow no dia 28 de junho (seu aniversário e, coincidentemente, Dia do Orgulho LGBTQIA+ também). Reproduzimos abaixo, a matéria da jornalista Ana Paula Bazolli:

“Eu sou a própria bandeira LGBTQIA+ e tenho orgulho de assumir meus desejos. É um caminho doloroso, solitário, mas depois que chega, meu bem, não tem para ninguém!", vibra Patrícia Marx como quem deu um grito de liberdade após assumir sua orientação sexual há quatro anos.

Com a certeza de estar feliz como nunca, ao lado da namorada Renata Pedreira, a cantora comemora seus 50 anos, nesta sexta-feira (28), Dia Internacional do Orgulho LBGTQIA+.

Famosa por integrar, na década de 80 e 90, o grupo infantil Trem da Alegria, ao lado de Juninho Bill e Luciano Nassyn, ela celebra ter nascido neste dia tão importante para a comunidade: “É uma coincidência maravilhosa do universo. Me assumi neste dia em 2020 e fui bem recebida. É uma comemoração dupla”, diz.

A dona dos sucessos "Espelhos D'Água", trilha de "Malhação", e "Quando Chove", de "A Viagem", conta que desde a adolescência sentia vontade de se relacionar com pessoas do mesmo sexo, mas tinha medo de não ter aprovação familiar.

A dona dos sucessos "Espelhos D'Água", trilha de "Malhação", e "Quando Chove", de "A Viagem", conta que desde a adolescência sentia vontade de se relacionar com pessoas do mesmo sexo, mas tinha medo de não ter aprovação familiar.

Após anos de desejos reprimidos, a artista agradece à psicanálise, que a ajudou a se assumir lésbica. Diante desse movimento, nada poderia ser mais natural do que oficializar a união com a mulher que colore seus dias. 

"Já moramos juntas há 3 anos e meio e me sinto casada. Nesse ponto, o relacionamento de mulheres é bem objetivo. Mas vamos oficializar no final de agosto. Vai ser discreto e só no civil para família. A gente prefere viajar”, explica.

A relação madura com Renata, após relacionamentos heteroafetivos, inspira Patricia. “Apesar de achar que eu deveria ter me assumido mais cedo, não tenho arrependimento. Não tinha condições psíquicas. Tinha muita projeção dos outros. Era a menina da bolha. Hoje tenho maturidade para ter uma relação mais tranquila e transparente. A melhor que já tive". 

Chegar aos 50 é transformador para Patrícia, que busca o tempo todo autoconhecimento: “É uma mudança radical. Nunca estive tão bem, não tinha noção do quanto estaria melhor ainda. Muito trabalho de análise, faço há mais de 10 anos, e sou muito empenhada de me trabalhar, me entender, sou muito corajosa.”

Para ela, a idade tem seu lado bom e outro nem tanto: “A maturidade traz mais clareza e menos paciência com gente que fica patinando, repetindo as coisas.”

A cantora começou a ter sintomas desagradáveis da menopausa há dois anos. Sentia dor no corpo, desânimo e falta de energia. Há seis meses, faz reposição hormonal e sua vida mudou para melhor. 

Emocionalmente, estou muito bem. Fisicamente, a gente sente as mudanças do corpo, menopausa, e isso é uma novidade para mim. Faço reposição e achei uma benção. Melhorei dos sintomas. Esse calor me deixava estressada, nervosa e agora estou no céu.”

Os cinquenta anos e a menopausa não influenciaram na vida sexual da artista, que acredita que o tesão está na mente: “A libido está muito mais na cabeça que no corpo. O hormônio dá um suporte importante, mas a gente tem algumas questões do inconsciente que levam a ter menos ou mais libido”,explica. "Em um relacionamento homoafetivo, entre mulheres, a cobrança de estar sempre com vontade, à disposição para o sexo, não existe, é zero. As mulheres estão cansando dos homens héteros e dessas cobranças".

Patrícia foi casada com o pai de seu filho, Arthur, de 15 anos, agradece o que viveu, mas enumera as vantagens de sua relação com Renata: “Não tem nada a ver com uma relação hétero. Tem várias coisas muito melhores. O entendimento das coisas, não precisa repetir, é quase telepático. A mulher já saca as coisas, a subjetividade está presente. Uma coisa que eu e Renata amamos é que a gente conversa muito, valoriza a companhia e tantas coisas que não consegui ter em um relacionamento hétero.”

"Tive algumas relações ao longo da minha vida com mulheres, bem rápidas. A Renata foi meu primeiro namoro. É a melhor relação que tive até hoje. Não tem ruído, é muito clara. Antes, eu tinha medo de falar, da explosão, de ser jogada para baixo.”

Patrícia conta que foi experimentar a liberdade plena após tornar público o seu namoro com Renata: “Assumir minha sexualidade foi uma grande libertação. Estava dando murro em ponto de faca. Eu já tinha essa vontade, sempre me chamou na adolescência e achava que era algo da minha cabeça, que era fantasia. Imagina? Na minha família? Fui trabalhando na análise e vendo que o caminho era esse.”

Quando se assumiu, Patrícia recebeu muitas mensagens e pedidos de ajuda nas redes sociais: “Mulheres disseram que tinham medo do pai, filho, família. Recebo mensagens do tipo: 'Me assumi e me inspiro em você'. Outras que querem assumir e não conseguem. É muita responsabilidade ser uma pessoa pública. Meu maior medo era a minha mãe. Ela teve uma educação rígida, religiosa. Hoje ela ama a Renata e diz que é filha dela.

"Um dia antes de postar, escrevi um texto para minha mãe, meu pai e meu filho. Meu filho disse que eu tinha que ser feliz. A gente cria muito medo do que vão achar e não tem jeito. Estou aqui e sou essa."

Foi no dia de seu aniversário de 46 anos que Patrícia decidiu não mais esconder sua orientação sexual. Fez um post nas redes sociais declarando seu amor, e respirou aliviada. "Pensei em virar monge, mas era fuga. Na análise, fui trabalhando esse novo momento e me abri para isso. Mudei cabelo, o visual começou a comunicar. Foi quando a Renata apareceu. Eu diria para mim aos 15 anos: vai fundo e segue seus desejos."

Como pedido de aniversário antes de apagar as velinhas, ela gostaria que o amor e a empatia se estendessem para além da sigla LGBTQIA+: "Todas as pessoas devem ser respeitadas. Essa é a grande lição desse século, conviver, respeitar e entender. Tenho consciência que eu, como pessoa pública, branca, cis e classe média, tenho um privilégio. Não seria assim se fosse uma mulher negra, periférica."

Cursando o primeiro ano de psicologia, a cantora se interessa pela psicanálise há tempos e tem vários cursos na área. Quando se formar, ela quer clinicar e ajudar pessoas.


"Não sou completa, não espero ser, a falta me faz buscar. Estou mais preenchida do ser do que do ter. Quando me chamam pra um programa de TV, vou com maior prazer, mas faço shows bem pontuais. Tenho muita demanda da faculdade e estou dedicada."

O Trem da Alegria continua na vida da artista. "Eu e o Luciano somos amigos. Umas quatro vezes ao ano a gente faz alguns shows do projeto Trem da Alegria Celebration. Cantamos os nossos maiores sucessos. É uma delícia e os fãs adoram."


Matéria publicada originalmente no GShow em 

sexta-feira, 28 de junho de 2024

PATRICIA MARX COMPLETA 50 ANOS

Hoje nossa querida Patricia Marx está completando 50 anos! Parabéns por 50 anos de vida, aprendizados e conquistas! 

Esse é um dia muito especial pra todos nós também, já que ela dedicou grande parte desses 50 anos à sua arte e a encantar nossas vidas com seu trabalho lindo e sua voz maravilhosa, que é um presente para o mundo! Assim como maravilhoso foi acompanhar aquela menininha se transformando aos poucos na mulher incrível, madura e inteligente que é hoje, temos muito orgulho de ser seus fãs! 

Que esse novo capítulo de sua vida seja repleto de saúde, amor e de realizações. E de muita música também, claro! Desejamos em dobro toda a felicidade que você sempre proporcionou a todos os seus fãs e pessoas que te amam. E amam muito mesmo, nunca esqueça disso!!! 

Parabéns, Paty!!! 🌹❤️🥳🎈

Pra homenagear essa data tão especial, preparei esse vídeo com alguns momentos dessa carreira tão linda até aqui, espero que gostem!



 

sexta-feira, 21 de junho de 2024

R.I.P. SCOWA (1955 - 2024)


No último dia 13/06, saiu de cena aos 68 anos, o músico e compositor Marco Antônio Gonçalves dos Santos, mais conhecido como Scowa. Ele fez sucesso nacionalmente em 1989, com a banda de black music Scowa e a Máfia (que emplacou os sucessos "Atropelamento e Fuga" e "Amigo do Amigo"). Porém, a carreira dele começou bem antes disso, em 1975, quando fez parte do Clube do Choro, e posteriormente tocou também nos grupos Sossega Leão, Gang 90 e Premeditando o Breque, entre outros. Em 2003, também passou a fazer parte do lendário Trio Mocotó. O artista sofreu uma parada cardiorrespiratória e estava internado na cidade de Botucatu (SP). Pessoas próximas diziam também que sua saúde já vinha debilitada, por conta de sequelas da Covid-19.

Scowa (ao lado do letrista Carlos Rennó) é também compositor de uma das músicas mais legais do álbum Ficar com Você, que Patricia Marx lançou em 1994: "Sem Preconceito", um funk genial que conta a história de um amor inter-racial. Pra quem não sabe, essa ela já era pra ter sido gravada desde o álbum Incertezas, em 1990, mas Patricia não pôde inclui-la no disco. Porém, pra nossa sorte, ela conseguiu gravar a música quando foi trabalhar com Nelson Motta. O vídeo com a música postado aqui é de um show em Cruzeiro (SP) e foi enviado na época pela Si de Castro , que estava lá, curtindo o show! Ele é o único registro que tenho dela cantando a música: 

Rennó postou uma homenagem ao artista citando Patricia e contando um pouco da história da música: "Pude desfrutar da experiência da amizade do Skowa, durante algum tempo entre os anos 1980 e 90. Foi num momento desse período que o convidei pra fazer comigo uma canção pra aquela que era então uma adolescente absolutamente excepcional como cantora: Patricia Marx. O resultado foi um funk, "Sem Preconceito", com direito a um rap no meio, com uma letra antirracista antecessora de canções mais recentes e radicais no tema. Minha letra remetia, tanto no título quanto nos versos finais ("Porque esse meu coração não tem cor"), a um samba maravilhoso de Wilson Batista, não à toa chamado "Preconceito".E também a outro clássico antigo, dos anos 30, de Ary Barroso e Luiz Peixoto, "Boneca de Piche" (citado por Caetano Veloso em "Eu Te Amo": "Da cor do azeviche, / Da jaboticaba.."). Patricia arrasou como costumava fazer e faz na interpretação. Viva Skowa!" 

Pra homenagear esse grande artista, vou deixar também o clipe do grupo Scowa e a Máfia, onde ele era o vocalista, cantando seu maior sucesso, "Atropelamento e Fuga",  em 1989.

segunda-feira, 17 de junho de 2024

RELEMBRANDO: TE CUIDA MEU BEM NO VIVA A NOITE

Vídeo novo no YouTube: Patricia Marx cantando "Te Cuida Meu Bem" no programa "Viva a Noite", que foi exibido no dia 24/05/1988. Na ocasião, o sucesso da música já estava consolidado e pode ser percebido pela empolgação do auditório, cantando em peso a música. O vídeo (com a imagem limpíssima) foi retirado de um post feito pelo canal SBT no YouTube, que vale muito a pena ser seguido pra quem é nostálgico e ama os programas antigos da emissora. Deixo aqui os links do vídeo só com a apresentação da Patricia, e para quem se interessar, o link do programa inteiro, com participações também do Roupa Nova, Elba Ramalho, Dominó e o concurso do Rambo brasileiro.

Patricia cantando "Te Cuida Meu Bem"

Ou assista o programa inteiro aqui:



quarta-feira, 12 de junho de 2024

40 ANOS, 40 DISCOS: É ASSIM QUE VOU TE AMAR (1996)

 #40anos40discos 

Música: "Formas de Amor" (Formas de Amor)  

Patricia Marx foi convidada pra participar de vários projetos no ano de 1996, entre eles, do quarto álbum do cantor Marcelo Augusto, intitulado "É Assim Que Vou Te Amar". Segundo o cantor na época, os dois já se conheciam há muito tempo e quando ele resolveu incluir a música "Formas de Amor" no álbum, o primeiro nome que ele pensou pra fazer um dueto foi o de Patricia. "É uma música eu já queria gravar, mas eu só gravaria se fosse com a participação dela. E ela me deu esse presentaço de participar desse CD, foi lá no estúdio e arrebentou", disse ele em uma apresentação que os dois fizeram cantando a música no programa Sabadão, apresentado por Gugu Liberato, nesse mesmo ano. Nesse programa, o apresentador ainda tentou forçar uma situação pra que os telespectadores pensassem que os dois estivessem namorando, mas nem os dois e nem o público compraram muito essa ideia... 

"Formas de Amor" é uma versão de uma música homônima do quinteto mexicano Caló. Além do mesmo título, os arranjos da versão também são praticamente idênticos aos da versão original. O grupo fez sucesso nos anos 90 cantando música pop, house, rap e principalmente dance music. Na época, chegaram a ser comparados com o grupo Ace of Base, e se formos julgar por "Formas de Amor", o estilo é muito parecido realmente. 

Além da participação no programa Sabadão,Patricia e Marcelo também cantaram a música no programa Domingo Legal, pouco tempo depois. A foto e a matéria que ilustram o post saíram na Revista Atrevida, lançada em agosto de 1996.  


ÁLBUM: É ASSIM QUE VOU TE AMAR (1996)

Música: Formas de Amor (Carlos Toro Montoro/ Christian de Walden/ Margaret Harris/ Max Di Carlo/ versão: Cláudio Rabello)

Intérpretes: Marcelo Augusto e Patricia Marx

Gravadora: Polygram